Um terço da população de Vicente Pires tem renda domiciliar de 10 a 20 salários mínimos

Em mais de 12% da comunidade, índice ultrapassa os R$ 17,6 mil. Dados fazem parte da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios divulgada na quarta-feira 24 de agosto.
MARIANA DAMACENO E VINÍCIUS BRANDÃO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
Foto: Dênio Simões / Agência Brasília
A renda domiciliar média da região é de R$ 9.257, referente a dez salários mínimos e meio

Vicente Pires tem população estimada para 2016 de 72.879 pessoas. A renda domiciliar média da região é de R$ 9.257, referente a dez salários mínimos e meio. Famílias com dez a 20 salários mínimos somam 32,94% da população, enquanto as que reúnem mais de R$ 17,6 mil, 12,48%. Apenas 3,7% dos domicílios têm renda de até R$ 880. Os dados fazem parte da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad), divulgada pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) na quarta-feira, 24 de agosto.

O levantamento mostra que há 20.247 domicílios urbanos, com uma média de 3,6 pessoas por unidade. A maior parte das construções é de casas (98,48%), e 88,86% delas são imóveis próprios. Quanto à ocupação, a pesquisa mostrou que a maioria das pessoas que vive na região trabalha na administração pública direta ou indireta (30,11%).
A amostra ainda concluiu que 89,61% dos moradores têm automóvel, enquanto 31,54%, bicicleta e 9,76%, motocicleta. Sete em cada dez pessoas (71%) utilizam o veículo próprio para ir ao trabalho, e apenas 13,72% usam o ônibus.

Mulheres são maioria dos moradores

A maioria dos moradores de Vicente Pires é formada por mulheres (50,42%) e por pessoas com faixa etária entre 25 e 59 anos (50,35%). A maior parte é nascida no Distrito Federal (51,88%), e a quantidade mais expressiva dos que vieram de outras unidades da Federação (32,31%) é do Nordeste.
Outro dado relevante é quanto à participação social das pessoas. A Pdad revelou que só 4,26% da população faz parte de sindicatos e associações, e 16,93% acompanham reuniões escolares dos filhos matriculados na rede pública de ensino.

Acesso aos serviços básicos

Durante a apresentação do trabalho na manhã de hoje, o diretor de Estudos Urbanos e Ambientais da Codeplan, professor Aldo Paviani, destacou que 98,12% dos domicílios têm abastecimento de água. “É bom que os poços artesianos sejam fechados porque eles retiram água do córrego Vicente Pires”, explicou. De acordo com o diretor, o processo de urbanização da região administrativa foi feito sem planejamento, o que causou a poluição do córrego.
Em relação à infraestrutura domiciliar, 99,12% dos moradores têm energia elétrica e 98,12%, abastecimento de água pela rede geral. Quanto ao sistema de esgoto sanitário, 62% usam fossa séptica e 23,4% fazem parte da rede geral.
O serviço de limpeza urbana atende 81,1% dos moradores de Vicente Pires, que contam com iluminação, meio-fio e rua asfaltada em 88% dos domicílios pesquisados.
A região foi criada em 26 de maio de 2009, por meio da Lei nº 4.327. O nome é atribuído à Colônia Agrícola Vicente Pires, que recebeu famílias dedicadas à produção hortifrutigranjeira, como hortaliças, leite de cabra, flores e frutas diversas, além de leguminosas e cereais.

Também pela Codeplan, participaram da divulgação do estudo o presidente, Lucio Rennó, e o diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas, Bruno de Oliveira Cruz. A Administração Regional de Vicente Pires foi representada pelo assessor do gabinete Luiz Carlos Vieira.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Laboratório Sabin em Vicente Pires

Academia IPPON traz artes marciais para Vicente Pires

Nova Farmácia Pague Menos